• melody erlea

10 coisas legais que assisti recentemente

não me julguem, mas eu sou meio viciada em tv e assisto muito mais coisas do que tenho tempo ou vontade de escrever. mas no bom espírito de compartilhar coisas legais, e também garantindo que esse blog não fique parado por tempo demais, preparei uma lista com um monte de coisas que assisti nos últimos tempos (leia-se: desde o começo da pandemia) e gostei. são séries e filmes que não me animaram a escrever um post inteiro mas que merecem ser partilhados.


a maioria está disponível em streaming (afinal nem só de torrents obscuros de 1989 vive uma blogueirinha) e em repeteroupa.com eu falei mais longamente sobre cada uma das indicações! corre lá, link na bio :3


the great (a grande) - prime video - 2 temporadas

comecei a assistir the great sem muita expectativa e fui surpreendida por uma série história deliciosa, hilária e non-sense. como o próprio subtítulo diz, a série conta uma histórica *ocasionalmente* verídica: a trajetória da imperatriz catarina, a grande, de simples esposa troféu a governadora soberana da rússia. a vibe não é retratar os fatos históricos com precisão, e sim, me parece, trazer pra perto da gente o absurdo que era a vida das pessoas da corte russa, quão descolados eles estavam da realidade do povo, e como decisões tomadas sem a menor parcimônia, lá de dentro do palácio, selavam os destinos de toda a população do enorme país. com atuações surpreendentes de elle fanning e nicholas hoult como catarina e pedro III e uma participação estarrecedora de gillian anderson na 2a temporada, recomendo a série de olhos fechados.


dickinson - apple tv - 1a temporada

infelizmente a apple impediu a possibilidade de se baixar ilegalmente as temporadas 2 e 3, então posso recomendar a temporada 1 dessa série que conta a vida da poeta emily dickinson, desde sua adolescência. assim como the great, a proposta da série não é oferecer veracidade e exatidão nos fatos históricos, mas fazer a gente entender o espírito livre de dickinson e quão à frente de seu tempo ela estava. a série é doce, engraçada e poética, tem toques oníricos e momentos de fantasia. dá até uma vontadezinha de ser uma mulher incrível no século XIX.


downton abbey - prime video - 6 temporadas

minha mãe tava falando pra eu assistir downton abbey há anos, e nos últimos meses eu sentei e maratonei todas as 6 temporadas. a série de passa de 1912 a 1926 na mansão e terras adjacentes da família crawley, que vem de gerações e gerações de aristocracia. além de passar por vários momentos históricos, tipo o titanic, a 1a guerra, a gripe espanhola, a série mostra de um jeito muito gostoso (embora várias vezes deprimente) as mudanças e evoluções sociais do período. a dinâmica dos episódios combina as histórias da família e suas peripécias high class e as vidas dos empregados da casa, que trabalham e vivem na mansão, ao mesmo tempo enfatizando as grandes diferenças sociais (tidas como normais) e entrelaçando as vidas dessas pessoas ao ponto da co-dependência. ainda preciso ver o filme, que tá no netflix, mas a série vale a pena!


close enough (sem maturidade pra isso) - 3a temporada

a 1a e 2a temporada de close enough, desenho dos mesmos criadores do genial regular show (apenas um show, do cartoon network), estão disponíveis no netflix. a 3a temporada eu assisti ilegalmente online, acredito que deva estrear na hbo ou netflix em breve. close enough é a versão gente grande de regular show - tipo a versão que a gente assiste sem as crianças na sala. o desenho conta o fantástico dia-a-dia de josh, emily e sua filha candance. a família divide um apartamento com seus amigos alex e brigitte, que são divorciados. além dos perrengues de cuidar da filha, compartilhar o espaço com amigos que são ex, viver com a grana apertada e pouco descanso, a série replica a vibe de regular show: no mundano, coisas incríveis acontece. tipo no dia que eles esqueceram de ir ao mercado e fazem coisas de café da manhã pro jantar, e dizem pra candance que "regras podem ser quebradas às vezes". no dia seguinte, empoderada com seu novo conhecimento sobre o funcionamento das regras (podem ser quebradas) ela transforma a escola no dia seguinte num verdadeiro remake de senhor das moscas com vibe apocalíptica. ou no episódio em que um desejo mal formulado pra um pingente mágico condena alex a ouvir offspring o tempo todo sem parar. cheia de referências que os millennials amam e humor completamente non-sense, é o desenho ideal pra fingir que até na nossa vida mundana existem aventuras doidas.


the chair - netflix - 1 temporada

estrelada por sandra oh como ji-yoon kim, professora universitária de inglês, essa série se passa numa universidade fictícia em que a primeira mulher, a própria ji-yoon, é noemada para liderar o departamento de inglês. entre a burocracia, regras e puxação de saco necessária pra ela manter a função, e as demandas dos alunos, algumas pertinentes, outras absurdas, ji-yoon lida com machismo, racismo ,outros professores tentando roubar seu emprego e um vídeo de uma aula vazado pra internet em que um professor faz o gesto nazista. tudo isso numa comédia dramática gostosa, com um humor quase desconfortável, e completamente diferente da grande maioria das coisas no netflix.


on the verge (à beira do caos) - netflix - 1 temporada

on the verge foi um tesouro garimpado no mar de bobagem que é o netflix. a série é de produção francesa, embora seja falada em inglês, e conta com a sempre maravilhosa julie delpy como justine, uma das protagonistas. delpy também é criadora, roteirista e diretora da série. CHEF'S KISS! on the verge conta a história de 4 amigas de 40 e poucos anos, com filhos entre a infância e a adolescência, casamentos mornos com uns hómi bem marromeno (quando não 100% ridículos) carreiras engatadas, que elas equilibram como malabaristas no circo com maternidade, casamento, vida pessoal e comprimissos gerais da vida. esse malabarismo pode parecer o que tá as deixando à beira do caos, como diz o título, mas a verdade é que o título original permite uma interpretação mais exata do ethos da série. porque sim, essas amigas estão à beira do caos em todos os jeitos possíveis - é surpreendente que as mulheres aguentem tanta loucura e não sejam elas perdendo as estribeiras e cometendo assassinatos em massa - mas a série toda se passa, com seu humor caótico e apocalíptico (que lembra um pouco a vibe de girls, da hbo, por vezes), de janeiro a março de 2020. logo antes de tudo acontecer, bem à beira, ON THE VERGE.


irmão do jorel - hbomax - 4a temporada

a 4a temporada de irmão do jorel alcançou novos níveis de humor metalinguístico, com quebra da 4a parede, episódios espelhados, uma vibe show de truman meets don hertzfeldt, seu edson desaparecendo não uma MAS DUAS vezes, carlos felino estreando sua carreira solo como APENAS FELINO, o coco mágico fazendo aloka e várias outras doideiras imersas naquelas referências culturais brasucas que a gente ama e vibra quando vê. essa temporada tá pau-a-pau empatada com a 1a temporada como a melhor da série, minha humilde opiniãozinha.


enfermeira exorcista - netflix - 1 temporada

ahn eun-young é enfermeira numa escola pra lá de esquisita - toda manhã os alunos tem que repetir fases afirmativas de manhã e gargalhar forçadamente bem alto - aparentemente rir, mesmo que seja uma risada falsa, deixa as pessoas felizes. mas ahn eoun-young é mais do que uma enfermeira: ela é uma enfermeira exorcista. com o dom de enxergar espíritos, que parecem gelecas das mais diversas formas e tamanhos, ela aprendeu, desde pequena, que esses seres que ela vê são os resquícios que se formam das relações humanas - com outros e com nós mesmos. quando as relações se tornam tóxicas, esses seres crescem e se transformam numa força negativa, que se não é controlada ou destruída pode chegar a consequências trágicas. meio humorística, meio fantástica, meio dramática, a série traz uma perspectiva interessante sobre os relacionamentos dentro de uma escola e o poder do que sentimos quando somos adolescentes - e o que acontece quando negligenciamos, negamos ou escondemos necessidades emocionais. uma vibe diferente, pra quem quer tentar assitir algo diferente e surpreendente.


reality bites (caindo na real) - baixei torrent

filme de 1994 do tipo que cês sabem que eu gosto: amigos mais ou menos descolados vivendo o zeitgeits dos anos 90, numa era pré-celular que nunca deixa de ter esse gostinho nostálgico de tempos mais simples. com winona ryder, ethan hawke, ben stiller e uma pontinha de evan dando, o filme conta o dia-a-dia de 4 amigos recém formados, dividindo apê e tentando navegar aquela linha tênue do hedonismo da juventude com a realidade de começar a encarar a vida adulta. numa vibe meio documental e meio metalinguística, é um filme gostoso, embora às vezes dolorosamente datado.


old (tempo) - baixei torrent

filme mais recente de m. night shyamalan (que vocês devem lembrar de sexto sentido, sinais e a vila), estrelado por gael garcia bernal e vários atores da "nova geração" que eu não saberia nomear. um grupo de turistas num resort topa ir a um passeio numa praia isolada por uma tarde. acontece que, numa vibe buñuel-anjo-exterminador, nenhum deles consegue sair da praia e voltar pro resort. como se um acontecimento fantástico não bastasse, eles percebem que estão envelhecendo MUITO RÁPIDO. as crianças viram adolescentes, os avós falecem, os pais envelhecem num ritmo devastador. enquanto tentam desvendar o mistério e ir embora da praia, descobrem que estão sendo vigiados e gravados. o filme não chega a ser o sucesso estrondoso dos clássicos de shyamalan, mas eu curti a viagem e achei o final bem satisfatório.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo