• melody erlea

downtown, a animação da mtv que é uma viagem no tempo


AI QUE SAUDADE DA MTV! a dos clipes e da música, claro, mas também uma mtv que era pioneira em muito mais - ao lado de sua irmã nickelodeon, a mtv gringa investiu ferozmente na animação nos anos 90, a década em que animadores mais tiveram liberdade criativa na tv.


não tô nem falando dos super famosos beavis&butthead ou da mordaz e cínica daria (que suspeito ser meu desenho favorito de todos os tempos) - e nem do adorável e amargo garoto enxaqueca; embora todos eles sejam exemplos magníficos da possibilidade de expressividade máxima (como diria seu edson, pai do irmão do jorel, do jorel e do nico também) na animação.


tô falando aqui especificamente da pérola noventista da mtv: downtown, de 1999. com apenas uma temporada, esse desenho é o supra-sumo da juventude criativa na tv e do retrato da vida jovem nos anos 90; um registro animado de um estilo de vida que não existe mais, que se perdeu nas mãos infinitas da vida em rede social.


eu não sei descrever esse desenho de nenhum outro jeito além de: uma delícia! delícia de assistir, nostálgico, mas também com certas sensações e ideias que são meio universais - as angústias e descobertas da vida jovem, os flertes, as amizades, as festas estranhas....

downtown se passa, como o nome diz, na parte baixa de nova york, a lower manhattan, mais especificamente no bairro do east village, e seu protagonista, alex, de 24 anos, trabalha na xerox do bairro. ele acabou de alugar uma kitnet miserável pra morar sozinho, sua melhor amiga trabalha num brechó (não do tipo descolado) e ele é afim de serena, a menina gótica que trabalha na loja de quadrinhos, mas odeia nerdices.


além do núcleo adulto, que gira ao redor de alex, temos o núcleo adolescente - chaka, a irmã do protagonista, tem 17 anos e anda pelo bairro com 3 amigos vivendo aventuras cosmopolitas&jovens; tipo sair em busca dos grafites perdidos nos túneis secretos e abandonados do metrô.


downtown captura um momento no tempo que acabou bem rapidamente, com a chegada dos anos 2000, a popularização da internet e o fácil acesso a celulares. assistir ao desenho é meio que uma viagem no tempo a uma nova york pré-gentrificação, pré redes sociais, em que pra encontrar os amigos a gente tinha que andar a esmo pelo bairro até trombar em alguém.


todos os personagens representam alguma figura típica dos anos 90 - dos nerds colecionadores de bonequinho dos star wars às adolescentes festeiras, passando pela melhor amiga cínica e sarcástica e pela crush gótica. nenhum deles é particularmente cool, mas todos são reconhecíveis - e diversos: os personagens não são todos brancos&magros e representam todo um leque de gente vivendo em ny.


inclusive, a ideia inicial da animação surgiu de algumas entrevistas que o criador, chris prynoski, fez com amigos e conhecidos em ny nos anos 90. cada um dos personagens é inspirado em uma dessas pessoas, e o próprio prynoski é a inspiração do protagonista alex. existem cenas e diálogos no desenho que são cópias quase literais do que foi dito nas entrevistas!

eu achei no youtube a entrevista com a verdadeira serena - uma típica gótica dos anos 90, com seu ódio por fãs de marylin manson e gente obcecada por romances vampirescos da anne rice. ela comenta no vídeo que tem 97 pares de sapato, e que seu lagarto de estimação gosta de entrar e sair deles. e não é que eu já tinha ouvido exatamente isso, num dos episódios de downtown?


outro personagem, o goat, amigo de alex com aspecto metaleiro que é obcecado por teorias da conspiração, também tem sua versão vida real eternizada no youtube.


também no youtube estão todos os episódios de downtown, desenho animado que todo mundo sedento por um gostinho da vida pré-internet precisa assistir!

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo