• melody erlea

jean paul gaultier e o sutiã que segue apontando para o futuro


um amigo meu acabou de postar uma foto vestido todo de branco dizendo na legenda que era melhor postar esse look vibe reveillon antes que se desse início a época de looks carnavalescos. deuzmelivreguarde dessa fase tenebrosa em que o instagram é só tules e glitter e fantasias cafonas, mas esse post está se materializando seguindo o mesmo princípio: deixa eu escrever logo sobre jean paul gaultier já que a fase grammys no instagram já começou.


foi semana passada que jean paul gaultier anunciou sua retirada das passarelas de semana de moda, fazendo de seu último desfile uma festa celebrando toda sua carreira e todas as personalidades que o acompanharam. ele desfilou mais de 200 looks, dos quais apenas 50 eram completamente novos - todos os outros foram feitos com sobras de suas coleções passadas. sim, de todas as coleções dos últimos 50 anos.


é lindo ver esse monte de gente falando sobre sustentabilidade, mas a real é que gaultier não tava pensando no meio-ambiente: ele tava pensando em quão foda ele foi em toda sua carreira pra conseguir desfilar 150 visuais incríveis só com coisas que ele já tinha guardadas. dá até uma tristeza pensar que esse espetáculo todo acabou, mas me coloco no lugar do estilista; deve ser difícil e exaustivo ser constantemente o melhor em sua área sem parar por 50 anos.


decidi abraçar os clichês: não há outro jeito possível de celebrar gaultier no repete roupa se não for exaltando o memorável sutiã-cone da madonna. mas não posso deixar de ressaltar que acho bem curioso que foi esse sutiã que ficou tão famoso, sendo que o seguinte look de jean paul gaultier com madonna já aconteceu:

peitcholas de fora é sempre melhor que sutiã mirabolante, mas isso sou eu.

ainda assim amo esse sutiã com todas as minhas forças. a própria madonna usou algumas versões diferentes dele, e ele é hipnótico o suficiente pra ressurgir das cinzas de tempos em tempos. a internet tá recheada de posts sobre as origens do modelo, que não foi invenção de gaultier - mas foi ele que modernizou, ressignificou e mitificou a peça, eternizando o nome bullet-bra, ou sutiã-bala em português. bala dessas de revólver, por causa do formato, mas anos depois katy perry apareceria com todo outro conceito de sutiã-bala, numa das estéticas mais duvidosas da história da cultura pop.

a história do bullet bra normalmente nos leva pros anos 40 e 50, e aquele visu marylin monroe de seios arrebitados e fartos. na época havia três grandes marcas produzindo o sutiã pontudo: a maidenform, a playtex e a perma-lift. a maidenform pegava pesadíssimo na propaganda - tem até um episódio de mad men sobre isso! no 6º episódio da segunda temporada, a playtex tá insatisfeita com sua campanha publicitária e quer algo mais na linha da maidenform, cujas propagandas mexem com os sonhos e fantasias das mulheres. a equipe de rapazes publicitários então surge com a ideia de que toda mulher é uma jackie kennedy ou uma marylin, e o playtex serve pra todas elas, e depois aprofundam o conceito: em cada mulher há as duas personalidades, e o sutiã a ajuda a despertar qualquer uma das duas. quer a dona de casa discreta e elegante? tem. quer a gostosona fogosa de fala mansa? tem também. é muito louco como um produto para mulheres tem uma campanha tão claramente focada no público masculino, né?

por muito tempo a maidenform apostou nas campanhas "eu sonhei que..." em que moças eram retratadas fazendo todo tipo de coisa usando seus sutiãs, ao lado do slogan "eu sonhei que [eu ganhei uma eleição/fui à paris/dominava o mundo] com meu maidenform". é genial porque faz a gente pensar que essas mulheres todas gostam tanto de usar sutiã que elas DORMEM com eles, ao mesmo tempo que dá essa ideia de que com esse sutiã você vai conquistar tudo que quiser (e que uma mulher comum não conquistaria, afinal, patriarcado).


1938

o primeiro maidenform cone é de 1938, mas a tendência do sutiã pontudo ainda demorou alguns anos pra pegar. em 49 já era um hit e parte essencial da silhueta do momento, o new look de dior. antes da tendência estourar em 49, a maidenform passou alguns anos lucrando com a segunda guerra mundial: a marca fabricou coletes para pombos-correio, e a maravilha dessa história é que ela não é uma piada. os coletes serviam pra proteger os pombos quando eles pulavam de paraquedas!!!! amarrados a um soldado que os soltava quando chegavam em terra, e de lá o pombo iria entregar suas importantes mensagens de guerra. eu amo demais a moda.




foi precisamente em 1949 que charles l. lang criou o sutiã "poses", um cone de pano adornado com um babadinho que era colável. a ideia era usá-lo como roupa de banho, porque os maiôs na época eram complicados de vestir e não super confortáveis. parece uma versão mais refinada e bonita dos adesivos de mamilo do carnaval, eu amaria poder ir à praia com um desse. cês não? imagina o bronze!

mas, como toda grande peça de roupa, o bullet bra é precioso - para além de sua história e importância na moda feminina - porque suas melhores anedotas estão escondidas em baús de fofoca de celebridade de astros mais ou menos esquecidos.


cês lembram do filme o aviador, com leonardo dicaprio? ele interpreta howard hughes, um bilionário que ama três coisas: aviões, filmes, e seios. então ele compra muitos aviões e faz filmes que tenham aviões e mulheres peitudas, além de sair com várias delas. dizem que na filmagem do filme the outlaw, de 1943, ele tava insatisfeito com como os seios de sua protagonista, a atriz jane russel, apareciam na tela. o magnata prosseguiu pra convocar todos seus engenheiros (os que faziam os aviões pra ele) pra uma reunião e lhes dar um novo ~job~: "inventem um sutiã que deixe os peitos de jane russel do jeito que eu quero que eles fiquem". basicamente, hughes pegou um arame, enfiou na parte inferior do sutiã pra juntar e subir os seios, e cortou a taça ao meio pra mais pele aparecer. eu não tô zoando mas esse doido inventou o sutiã com aro.

o curioso é que jane russel era garota propaganda da linha de sutiãs cross your heart da playtex, e na hora da filmagem não usou o sutiã de howard hughes: enfiou guardanapos de pano no que já estava usando e abaixou as alças pra dar o efeito de mais busto aparecendo. howard hughes, dizem, não notou a desobediência da atriz.

a linha cross your heart é uma das mais populares na história do sutiã: ela conseguia o efeito cone sem nenhum aro, apenas elásticos que se cruzavam na frente e empinavam os seios. a marca vende os exatos mesmos sutiãs até hoje!


e se nos anos 50 e 60 a maidenform dominava as campanhas publicitárias, nos anos 80 e 90 a playtex aproveitou a onda do sutiã high-fashion de jean paul gaultier e reforçou a praticidade e naturalidade do cross your heart em campanhas que, justamente, comparavam o dia-a-dia e necessidades de mulheres comuns à loucura exagerada das passarelas, das top models e do mundo pop. surfando numa tendência pop pra reafirmar a presença de um produto tradicional: mandou bem (sem contar que nas cenas de moda e celebridades eu enxergo, além do sutiã da madonna, uma referência aos bustos de issey miyake, mcqueen e mugler sobre os quais comentei uns posts atrás!)

mas essa história não poderia terminar sem uma descoberta inesperada. a cross your heart foi uma linha bem icônica, atravessando oceanos e indo parar no imaginário cultural de uma banda underground de amsterdã dos anos 90, formada por três garotas que tocavam rockabilly com uma pegada b-52s. o nome da banda? cross your heart and the playtex. a estética da banda? bem pinup cinquentinha com sutiãs pontudos. a vocalista, simone mansveld, hoje toca numa banda indie com pegada 90s chamada burghers - e vocês não fazem ideia em que buracos da internet me meti pra descobrir isso, tudo pelo prazer de uma novidade e um post bem amarradinho.

nos meus destaques no instagram vou ampliar essa coleção de anedotas e imagens; tudo que não coube aqui estará lá! as muitas versões de gaultier pro bullet bra, propagandas das marcas mencionadas, releituras do sutiã pós-gaultier, celebridades diversas usando modelos cônicos de sutiã, raríssimos vídeos da banda misteriosa cross your heart and the playtex, e todas as imagens que eu conseguir encontrar de jane russel em the outlaw.


só pra vocês terem um gostinho: que tal abracadabra, o filme clássico de haloween dos anos 90, e a cena da festa de haloween em que a mãe dos adolescentes protagonistas monta um visu arrasador bullet bra pra festa de haloween da cidade??? imagina ter uma mãe que vai de madonna na festeenha (aí cê lembra como o moleque do filme era chato, e percebe que a maioria dos adolescente simplesmente não merecem as mães que tem, especialmente os que tem mães super descoladas)


  • Black Instagram Icon
  • Black Facebook Icon
  • Preto Ícone YouTube
  • Black Pinterest Icon
  • Preto Ícone Tumblr
  • Preto Ícone Spotify

RECEBA A NEWSLETTER