• melody erlea

luquinhos inspirados: edição capas de disco

o repete roupa tá super musical ultimamente, né? teve o bezzi contando sobre sua adolescência garimpando pra alcançar o estilo de seus ídolos musicais, teve o will falando sobre help, a coletânea de britpop gravada em 1995 por uma causa beneficente, teve o lançamento da versão demo do disco to bring you my love, da pj harvey, teve celebração dos 20 anos do filme quase famosos (que é basicamente um filme sobre música)...


decidi aceitar essa vibe e finalmente botar em prática uma ideia que tenho desde o começo desse blog: uma semana de looks inspirados em discos. quem é internauta das antigas e consome blog tem acesso, aqui e agora, a todos os luquinhos da semana, e quem é de instagram vai receber em doses diárias no feed.


a verdade é que nem todos os dicos que escolhi são, necessariamente, meus preferidos. pra começar, eu nem tenho uma coleção de discos tão grande, e queria usar só discos que eu tenho em casa (pra poder forografar com o look), e muitos dos meus top 5 não estão na minha prateleira de discos (choro). aí mesmo dessa minha pequena seleção caseira, eu tive que escolher discos que tivessem cores e propostas que eu conseguisse emular com minhas roupas - e nem todos os meus preferidos possuem uma paleta igual à do meu guard-roupa.


mas pra minha sorte alguns dos meus preferidos combinam completamente com meu armário, inclusive esse LYNDO do diamond dogs, do bowie.

tentei reproduzir as cores da capa e o feeling meio glam com a calça de veludo e as correntes (que uso sempre, eram da minha vó). eu raramente tiro foto com bolsa, mas achei que essa de fita cassete complementava bem o visu, que tava meio basiquinho demais pra quem tá imitando disco do bowie, néam. ainda acho que há jeitos de deixar esse visu ainda mais ousado, e seria o correto pra honrar bowie, mas gostei bastante do resultado: meio roquenrôu, mas básica e atemporal.


um luquinho quase inteiro de segunda mão: a bolsa é do enjoei e a calça de veludo é do incrível bazar de trocas (ai que saudades de um bazarzinho de trocas). as sandálias (que mal dá pra ver) são de muitossss anos atrás, da renner. eu amo demais essa sandália, sempre fico satisfeita de ter comprado, ainda mais sabendo que hoje em dia eu não compraria, já que larguei mão de fast fashion há uns anos. o body verde também é fast fashion, da forever 21, e eu ganhei de natal da minha mãe após ter passado um ano sem comprar roupas como parte do meu desafio de repetir roupa quando criei esse blog. obrigada, mãe, eu tava precisando. uso ele à beça e é uma das melhores peças que tenho. hoje em dia compraria no enjoei (a sandália também, se achasse, mas body básico é mais fácil que sandália de plataforma tratorada e jelly straps do meu tamanho.



outros dos meus discos preferidos que rolou transformar em look foi the head on the door, do cure. aaaaaa eu amei esse visu, amei quão bem ele ornou com a capa, até o jeito que a estampa floral se espalha combina. o vestido é do bazar da unibes (de um dia que levei malfeitona e sebastianismos pra dar um rolê em brechós aqui por sp! tá tudo filmado, só preciso perder a vergonha na cara e editar) e o all star amarelinho lindo é do enjoei.


aí chegamos no COMBO SMITHS. fiquei levemente chateada que não consegui montar mais looks inspirados nos outros discos que tenho deles, MAS TUDO BEM, tudo a seu tempo. um dia virá a semana especial smiths do repete roupa e sabe-se lá que luquinhos incríveis e inimagináveis nos aguardam nesse futuro misterioso.



comecei os smiths com o clássico the queen is dead. gosto muito dos verdes militares e tenho várias roupas nesse tom, e o maiô rosa deu o toque de cor i-gual-zi-nho no disco. ai que orgulho! confortável, estiloso e basicão. não precisa ser mequetrefe pra ser básico, tem tantos jeitos legais de brincas com itens neutros! a saia é do incrível bazar de trocas, a jaqueta e o maiô são de quando eu ainda comprava em fast fashion. o keds é vééééio de guerra, lá da teodoro sampaio.



aí tentei reproduzir o feeling do meat is murder. a lógica: o disco tem tons de verde militar (já estabelecemos que essa cor não é um problema por aqui), preto e branco. e tem a mesma imagem repetida quatro vezes formando um padrão meio quadriculado, que me remeteu ao xadrez. que sorte a minha ter um vestido xadrez exatamente nas cores do disco, bem aninhos 90, todo trabalhado na golinha chinesa, bem grungezinho sensual. esse achadinho noventêra é do enjoei, e originalmente era de comprimento midi e largo em mim. mandei ajustar e me sinto a última seringa de heroína do backstage do show do nirvana, gostosa e viciante.



e aí finalizei com o primeiro disco deles, o homônimo the smiths, com uma camisa florida que o crush deixou aqui e essa mini de jogar tênis, tudo do brechó devant vintage. as doc martens são do enjoei, um garimpo precioso que nem acredito que encontrei.


eu já falei que me sinto bem de verde musgo, então minha escolha seguinte foi esse disco da joan baez que é todo verde, com ela no canto trazendo um pouco de branco. tentei reproduzir a textura da blusa dela na minha blusa, e a saia trouxe o verde. um luquinho que amei, e pronto. a blusinha é do enjoei, a saia é a mesma que usei no look do the queen is dead, e eu garimpei no meu bazar de trocas.



e, pra encerrar o desafio, os luquinhos mais coloridos da semana!


o primeiro inspirado na cada do disco do archies deve ser a roupa mais fofa que eu uso em MUITO tempo! não tenho usado roupas tão coloridas como quando comecei o repete roupa, mas me apaixonei por esse luquinho.



o segundo é um inspirado na capa de uma coletânea de hits dos anos 50, que por sua vez é inspirada na por art, principalmente no trabalho de roy lichtenstein. enquanto escrevo esse post lembrei que tenho uma bolsa estampada com uma ilustração do lichtenstein e tô levemente arrependida de não a ter colocado pra jogo nesse look, mas talvez rolasse uma vibe meio too much information com dois acessórios quadrados estampados da mesma coisa. ou talvez ficasse incrível, e nós jamais saberemos. vai que amanhã eu acordo ainda inspirada e tento fotografar uma versão com a bolsa pra ver o que sai. (mas nunca se sabe, ainda mais eu que não mantenho registro do meu ciclo menstrual).



aaaaaa eu amei demais essa semana! durante a semana vai rolar o desafio #repetevitrola - visus inspirados em capas de disco! não precisa ter o disco de vinil em casa, pode ser cd, pode pegar imagem na internet... o importante é escolher um disco que você ama e montar um luquinho vida real inspirado nele. bora?




  • Black Instagram Icon
  • Black Facebook Icon
  • Preto Ícone YouTube
  • Black Pinterest Icon
  • Preto Ícone Tumblr
  • Preto Ícone Spotify

RECEBA A NEWSLETTER