• melody erlea

louise doktor, a grande musa do streetstyle novaiorquino


essa é pra todo mundo que ainda tá precisando de um empurrãozinho pra começar usar as roupas que ama! tá vendo essa deusa fashionista das fotos? pois pega essa:


louise doktor, figura batidíssima na coluna de street style do @nytimes, possuidora e usuária de uma coleção de vintages invejável, dona de um estilo extravagante inimitável... era secretária executiva de uma empresa de holding.


sabe as fotos na galeria? com algumas exceções, esses são os luquinhos dela DE TRAMPO!



louise morou um tempo em londres, na década de 1970, onde criou um pequeno negócio de venda de roupas vintage, concorreu ao concurso de beleza miss mundo alternativa e foi eleita uma das london belles, as mulheres mais estilosas de londres em 1973.


aí foi pra nova york seguir sua carreira no mundo corporativo.



seu estilo distinto, seu interesse por vintage e, imagino, sua personalidade contagiante, a aproximaram do mundo da moda e das artes - ela andou com marc jacobs, frequentou fashion weeks em ny, paris e londres, conheceu vivienne westwood - mas nunca deixou de se relacionar com roupas do jeito que ela gostava: como hobbie, como diversão, como expressão criativa. não como trabalho.



sua temporada em londres a fez conhecida nas muódas, mas foi em nova york que ela se tornou meio que um ícone cultural, um rosto e um nome populares, um marco fashion. isso foi graças ao olhar afiadíssimo de bill cuningham, que fotografou o estilo vivo das ruas de nova york por 5 décadas, desde os anos 70.



cunningham já tinha uma carreira consolidada como jornalista de moda, e avançou rapidamente como fotógrafo, fotografando desfiles, celebridades, anúncios... mas ele gostava mesmo era de andar pelas ruas fotografando gente comum vestindo roupas de maneiras diferentes, reconhecer padrões repetidos e tendências, fazer amizades pelo caminho.


dizem que a primeira foto de moda de rua que ele tirou foi de greta garbo, que ele diz não ter reconhecido na hora do clique. foi também nesse ofício que ele conheceu louise, com quem desenvolveu uma profunda admiração e amizade.


de doktor, ele disse, em artigo de 2002: louise não está no mundo da moda e nem gosta de ser fotografada. ela se veste como se estivesse criando uma obra de arte a cada dia, misturando estampas, cores e designers renomados como comme des garçons. sua vivência em londres nos anos 70 formou seu sento de estilo - tão pessoal que ninguém consegue imitar.


eles eram tão próximos que cunningham, falecido em 2016, deixou pra louise 50 mil dólares - da pequena fortuna que juntou durante as décadas, sem gastar 1 centavo do que ganhava e morando num apartamento minúsculo onde dormia em meio a todos os negativos de suas fotos.



sobre bill cunningham, há um lindo documentário de 2010 chamado "bill cunningham new york" e um livro que reúne parte de suas fotos, organizadas por década.



sobre louise doktor, nada há além da internet toda a ser desbravada (e eu desbravei pra vocês e coloquei tudo nesse post!)


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo