top of page
  • Foto do escritormelody erlea

o óculos retrô-grunge




inegável (e incrível!) que alguns itens de vestuário se tornam maiores que as pessoas que o vestem - e viram símbolos de uma mentalidade, um movimento social, uma era. é o caso com muitas das escolhas fashion de kurt cobain, como o cardigan do acústico mtv, ou a calça remendada usada em inúmeras ocasiões, representação física do posicionamento anti-moda e anti-consumista do cantor (ironicamente, a calça foi vendida por quase meio milhão de dólares num leilão ano passado).


ainda mais inesquecível é o óculos retrô abelhudo, que kurt tinha em várias cores, mas que ganhou seu lugar na história da cultura pop em sua versão branca ao ser eternizado num ensaio pelo fotógrafo jesse frohman em 1993 - não muito antes da morte do cantor. aliás, quem tá lá marcando presença nessas fotos é, também, a tal da já mencionada calça remendada (essa aí tem vida própria, de tanto que foi usada).



o poder que esse óculos de armação branca tem sobre toda uma geração de pessoas amantes de rock alternativo, gente - e tudo porque, no contexto cultural do grunge, ele é quase destoante. um aceno vintage e requintado dentro de um ambiente artístico cinzento e masculino.


um modelo de óculos que nos remete a uma certa elegância extravagante, porém clássica, à la audrey hepburn (que usa um modelo parecidíssimo no filme como roubar um milhão de dólares, de 1966), nos transportando imediatamente para uma década de 1960 de formas geométricas e cores, mas também de garotas doces de sapatilha, cabelo beehive e óculos gatinho. uma era de glamour hollywoodiano, de pretensa felicidade midiática, de psicodelia porém de códigos de comportamento ainda rígidos e pautados em etiqueta e aparência.


mas tirado desse contexto e aliado a uma postura punk, vestido com roupas de segunda mão, calças jeans rasgadas, esmalte descascando, cigarros (e a sugestão ao uso de outras substâncias), o óculos ajuda a criar a vibe paradoxal e original de uma celebridade que parece estar eternamente em conflito com sua própria fama e ambição.


o modelo usado por kurt cobain, atribuído à marca christian roth, se tornou um clássico pop, extravasando seu lugar na música alternativa e virando símbolo de uma postura "nem aí" que depois foi assimilada por outros artistas excêntricos, principalmente do rap, que, de alguma maneira, trazem o underground para o mainstream.



não me parece estranho que kurt tenha escolhido esse modelo de óculos como uma de suas assinaturas de estilo: oversized, de lentes escuríssimas, ideal para esconder bem o rosto de uma celebridade que nunca quis ser uma celebridade, ao mesmo tempo que seu glamour retrô destoa não apenas do contexto musical no qual o nirvana estava inserido, mas das escolhas estéticas dos artistas e do público da cena grunge num geral.



sua modelagem meio alienígena chama atenção ao mesmo tempo que, ao ser combinada com os jeans podrinhos, os cardigans surrados, as roupas destroyed, nos lembra que kurt era, antes e depois da fama, um outsider, um espírito ímpar, um desajustado sem a menor intenção de tentar se ajustar. é o óculos ideal para o anti-herói do rock underground, camuflando sua esquisitice, ansiedade e introversão com uma excentricidade não-intencional.


o óculos pra quem é capaz de resumir a angústia de toda uma geração em alguns rifs de guitarra. o óculos pra quem precisa ser visto, mas quer se esconder.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page