• melody erlea

onde estão as pessoas gordas no rock?

[texto escrito em colaboração com elaine quinderé, da assinatura de estilo]


esse post acompanha uma playlist no spotify com TODAS as bandas citadas no texto! segue a gente lá!

se você tem o hábito de escutar rádio, já deve ter percebido que há músicas que ultrapassam barreiras - o clássico "i would do anything for love (but i won't do that)", do meat loaf, é dessas: toca muito, de estação de rock a estação de música de tia. uma daquelas músicas que ~unem todas as tribos~.


meat loaf era rockstar, fashion icon, e ator: fez o papel de eddie em rocky horror picture show; em clube da luta ele é robert, a vítima de cancer de testículo que desenvolveu seios após o tratamento; e o ponto alto de sua carreira: ele é o motorista do ônibus das spice girls no filme "spice world", de 1997.

com a notícia de seu falecimento, ao rever fotos e clipes desse homem incrível, estiloso e talentoso, é difícil não perguntar: onde estão os outros rockstars gordos no roquenrôu? será que o mundo do rock é gordofóbico?


gordofobia, o preconceito direcionado às pessoas gordas, faz com que elas sejam ofendidas, diminuídas e excluídas por causa do seu peso. essas pessoas têm sua saúde e sua capacidade questionadas, e esse preconceito atinge toda e qualquer esfera na nossa sociedade - estruturalmente.


com a música não seria diferente.


a gente pode começar pela ópera, por exemplo, onde há uma representação estereotipada de que os cantores são sempre gordos. tudo isso vem de um pensamento que diz que: na ópera, o talento importa mais que a aparência física. no mínimo preconceituoso falar disso, né? limita o que a pessoa gorda pode ou não ser. e limita quem pode ser um rockstar de verdade.


quantos astros do rock gordos você conhece? quantos você consegue dizer de “bate-pronto” antes de continuar neste texto? não muitos.


não porque pra ser um rockstar não precise de talento (a gente não precisaria nem explicar isso daqui), mas porque o visual de um astro da música precisa ser atraente de acordo com o padrão imposto. desde que elvis apareceu pela primeira vez rebolando sua pelvis enxuta, rockstars são tipicamente magros - curioso se pensarmos que elvis foi um homem gordo por muito mais tempo do que foi um adolescente magro.


um astro do rock é, antes de tudo, um sex symbol.


e tudo isso é, no mínimo, irônico: o rock não é justamente sobre outcasts e outsiders? música não devia ser universal, inclusiva e representativa?


um espaço que se propõe como seguro pra pessoas que não querem seguir padrões acaba sendo mais um local inóspito pra quem é esteticamente diferente - como se houvesse um corpo ideal para ser um rockstar.


além disso, a gordura sempre está ligada à decadência de um músico. aqui, aposto que vocês não precisam de tanto tempo assim pra pensar: elvis presley e axl rose são apenas alguns dos exemplos que podemos usar.


a gordofobia na música já fez com que muitos artistas fossem preteridos no mundo da música e tema de manchetes em grandes veículos da mídia apenas pelo seu peso.


o próprio guitarrista da banda def leppard, vivian campbell, falou em uma entrevista à new zealand press association, em 2008, sobre sua rotina de exercícios e dieta não só para cuidar da própria saúde, mas pra poder ficar sem camiseta durante um show: "eu não iria querer ir ao palco me sentindo gordo porque o mundo não gosta de rockstars gordos.”


a madonna escreveu, em seu livro sex, que conseguia se sentir atraída por gente fora dos padrões, por sua personalidade ou intelecto, mas que pessoas gordas eram um problema pra ela.

por incrível que pareça, até a mtv impunha padrões estéticos para decidir que clipes iam passar na emissora ou não. lembra do hit dançante everybody dance now? a cantora que vemos no clipe é zelma davis - mas os vocais foram gravados por martha wash, uma mulher gorda, que foi demitida às vésperas da gravação do clipe e substituída por zelma. um dos cantores por trás das vozes do milli vanilli, brad howell, era um homem gordo.


os diretores dos clipes da banda heart, após tentativas de disfarçar o corpo da vocalista ann wilson com efeitos de fumaça ou a colocando por trás de cortinas esvoaçantes, passaram a filmar só seus olhos e seu rosto.


tad

a verdade é que alguns ambientes da música são mais abertos a corpos gordos do que outros. o grunge tem uma tradição interessante de roqueiros gordos, mas não são bandas que alcançaram sucesso mundial como nirvana ou pearl jam. a banda tad teve seu clipe da música wood goblins rejeitado pela mtv por causa da aparência de tad doyle, o vocalista. quando a banda screaming trees conseguiu um contrato com a epic records, o vocalista mark lanegan foi aconselhado a largar pelo menos um dos "caras gordos" - os irmãos gary lee e van conner, que tocavam guitarra e baixo. a banda permaneceu com sua formação, mas as primeiras fotos de publicidade foram feitas com uma lente "fish eye", pra tentar disfarçar o tamanho dos meninos.


atitudes assim objetificam e questionam o valor da pessoa gorda. afinal, não seria alguém gordo uma pessoa também?

poly styrene

o punk é um lugar no rock que parece nutrir menos preconceitos quanto ao tamanho de suas estrelas. pra dar um exemplo brasileiro, temos joão gordo representando o punk e o corpo gordo no rock nacional com o ratos de porão. a vocalista poly styrene, da banda de punk britânica x ray spex, era uma mulher negra e, para os padrões, gorda. pensando em bandas mais recentes, naquela fronteira onde o punk encontra o ska e o pop, temos o fat mike, do nofx, e eric wilson, baixista do sublime.

romeo void

crocus behemoth, à frente da banda punk rocket from the tombs, fez de seu tamanho uma característica essencial de sua estética, com figurinos que faziam referência a oliver hardy (o gordo, do clássico duo de comédia "gordo e o magro") - ele vestia ternos, suspensórios, macacões e outras roupas que acentuavam o formato de seu corpo. d boon, vocalista do minutemen, é dos poucos músicos gordos que faleceram aos 27 anos, na triste tradição dos que são considerados os maiores do rock. deborah iyall, vocalista da banda romeo void, é uma das mulheres mais estilosas do punk, e fazia questão de trazer sensualidade e sex appeal à sua estética, sem se limitar por causa de seu tamanho.


poison idea

a banda poison idea, uma das preferidas de kurt cobain, era descrita pelo guitarrista tom roberts como "a banda mais pesada do rock" - literalmente. a banda só tinha um membro magro, que perto do resto parecia um cara bem pequeno, mas ele tinha mais de 1,80 e pesava quase 100kg. o guitarrista costumava comentar que, embora não houvesse um pré-requisito pra ser parte da banda, as pessoas mais criativas com as quais ele havia trabalhado eram gordas.


para além do rock, no rap temos notorious big, heavy d, missy elliot. aliás, as tradições de música negra também parecem ter mais espaço para corpos gordos: pensa ella fitzgerald no jazz, barry white no estilo romântico, entre tantos outros.


mas se você tá se perguntando "ok, mas e os GRANDES rockstars? aqueles que todo mundo lembra? aqueles que ficaram marcados na história da música pop? tem algum gordo?" para além de todas as bandas mencionadas nesse texto, separamos uma lista de 12 rockstars gordos imprescindíveis! se liga:


sister rosetta tharpe

rosetta tharpe tocava música gospel e é considerada a madrinha do rock n roll. ela foi pioneira no uso da guitarra elétrica, no uso de distorções, é considerada a responsável pela introdução da guitarra no blues e influenciou os primeiros rockstars, de little richard a elvis presley.


fats domino

de 1956 a 1961, o auto-denominado fats domino gravou hits dançantes de contagiantes de roquenrôu. "they call me the fat man", ele cantava - e isso nunca o impediu de fazer sucesso nem de levar garotas para o topo do morro blueberry, como ele mesmo diz na canção blueberry hill.


big bopper

j.p. richardson mudou seu nome artístico para big bopper - uma referência a seu próprio tamanho - e em 1958 lançou o hit chantilly lace, até hoje um clássico pop. ele usava ternos estampados magníficos, com listras ou animal print, que enfatizavam seu tamanho ao invés de tentar disfarçá-lo.


bb king

o músico de blues mais influente da história, o rei do blues, o criador de uma sonoridade na guitarra elétrica que inspirou o blues e o rock.


mama cass

cass elliot, integrante do grupo the mamas & the papas e um nome super importante para o ativismo gordo, movimento que nasceu do fim da década de 70 pro começo dos anos 80. vinculado ao movimento feminista e hippie dos estados unidos, ficou conhecido fat underground. foi a morte da cantora impulsionou a criação do grupo, já que sua morte ocorreu devido à negligência de médicos apenas por estar gorda.


howard kaylan e mark volman

o vocalista e o guitarrista da banda the turtles, conhecida pelo hit "happy together", eram homens gordos. o look sessentista de camisa, tricô e terno bem justinhos, no caso, deles, era usado para tentar disfarçar.


leslie west

leslie west foi um músico proeminente na década de 60 e 70, à frente da banda mountain. ele era um guitar hero, como só houve naquela época, com uma voz poderosa a la joe cocker. ele chegou a se apresentar no woodstock mas durante a década de 70 sua banda acabou esquecida.


janis joplin

janis joplin, um dos maiores nomes do rock dos anos 1960, foi um dos exemplos onde “o talento é mais importante que a forma física”. era considerada feia, portanto, gorda também. estava fora dos padrões de beleza da cena do rock e estética hippie da época. especialmente na década de 1960, quando o tamanho médio da população norte-americana aumentou e, aliada ao novo padrão estético entrando em tendência com a twiggy e o mod, fez surgir a “epidemia da obesidade”.


leo jaime

o compositor e cantor brasileiro foi peça importante para a cena do rock brasileiro nos anos 1980. leo, em uma entrevista, falou que percebeu as portas do showbiz começarem a se fechar a medida ganhou peso e, por isso, perdeu oportunidades de trabalho, além de ser criticado e ofendido pelo seu corpo.

black francis

o guitarrista e vocalista da banda Pixies, famosa nos anos 80, sempre foi gordo e já foi alvo de fotos maldosas sobre o seu peso com a pergunta abaixo: “where are my feet?” (“onde estão meus pés?”) - uma piada infame com um dos sucessos do pixies, a música “where is my mind”. mais um exemplo do corpo gordo ganhando características animalescas, de forma que as pessoas achem ok fazer piada disso.


beth ditto

a ex-vocalista da banda the gossip é uma verdadeira ativista do movimento gordo e se denomina “fat feminist lesbian”. beth é, além de tudo, um ícone fashion que nunca teve medo ou vergonha de mostrar seu corpo nos shows, muito menos de usar a moda pra expressar quem ela é como artista, cantora e mulher.


brittany howard

a vocalista do alabama shakes fez história no indie/folk/rock com sua voz inconfundível e sonoridade meio country

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo