top of page
  • Foto do escritormelody erlea

Scowl: hardcore para a Gen Z

[texto publicado originalmente na freshpeople]

“Se você não sabe quem somos, está prestes a descobrir”. É assim que Kat Moss, vocalista do Scowl, costuma abrir os shows da banda.Eles são parte de uma nova onda californiana que inclui bandas como Militarie Gun e Drain - e vem tomando espaço na cena hardcore ao trazer uma cara colorida ao movimento.


Elogiados por gente como Post Malone e Hayley Williams, Scowl já abriu shows para veteranos como Limp Bizkit e os garage punx do Destroy Boys; e parece conquistar fãs de todos os tipos por onde passa. Sua estréia no Coachella, em abril deste ano, serviu para firmar a banda como uma nova cara do hardcore - do tipo que ultrapassa nichos e não tem medo de misturar referências sonoras e estéticas.


A banda, além de Moss, é formada pelos guitarristas Malachi Grenney e Mickey Bifolco, pelo baixista Bailey Lupo e pelo baterista Cole Gilbert, e ajuda a definir a cara e o som do hardcore para a Gen Z. Sua bagagem de referências vai de Fugazi e Dead Kennedys a Billie Eilish, passando por Sonic Youth e Amyl and the Sniffers.


A mistureba se nota musical e visualmente. O novo EP, Psychic Dance Routine, aposta no encontro do hardcore com o indie e intercala faixas mais barulhentas com outras mais suaves, que remetem ao som de bandas como Bikini Kill e Sleater-Kinney.


Ao vivo, o Scowl entrega a experiência catártica de um show hardcore: público totalmente envolvido, mosh pit e energia elevadíssima. Como costuma ser, muito do foco e pivô dessa energia cai nas mãos da vocalista: uma garota de cabelo verde-radioativo que se veste como se fosse o encontro da Lady Miss Kier do Dee-lite e Kathleen Hanna. E muito da mágica do Scowl é o visual hipnotizante e autêntico de Kat Moss.


Kat não se contenta com um look estereotipado de cantora de rock alternativa. O faça-você-mesmo da vocalista inclui brechó, vintage dos anos 50 e 60, cores claras, estampas florais, e peças como Go-Go boots brancas, que homenageiam de uma vez só Nancy Sinatra e Debbie Harry. Tudo isso mesclado aos elementos clássicos da cena underground - meia arrastão, coturnos, roupas rasgadas, xadrez. O resultado é um figurino divertido, único, que comunica perfeitamente o mix de referências que compõe o Scowl.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page