• melody erlea

gilmore girls e os casais teen que a gente ama

eu gostaria, até, de bater no peito com orgulho e me auto-nomear uma influencer, mas a real é que eu sou muito mais influenciável e influenciada do que influenciante.

esses dias minha irmã me disse que tava revendo gilmore girls e a priori eu torci o nariz (porque já vi tantas vezes, sei tudo de cor, inclusive lembro com clareza a progressão da chatice ao longo das temporadas - aliás 1 sdd: a comunidade do orkut chamada "rory é chata d+" cuja descrição era "ô se é" e a foto era rory de boina jamaicana que ela usa pra jogar golf com seu avô rico). mas quem tava logo ontem dando play no 1º ep da 1ª temporada? isso mesmo: euzinha.

gilmore girls é sobre lorelai e rory, mãe e filha que são melhores amigas unhas e carne. os pais de lorelai são ricos mas ela quer viver independente e seguindo suas próprias regras radicais.

eles são todos de uma cidadezinha minúscula chamada stars hollow e ninguém se veste muito bem, o figurino é bem tédio combinando com esse interior americano - mas fofoca amorosa não falta e coincidentemente o 2º namorado de rory, jess, é também um dos únicos personagens com o que a gente pode chamar mais ou menos de um estilo.

jess é também meu preferido na sequência de narrativas amorosas da rory - o dean, 1º boy, era meio sem graça intelectualmente (embora lindo de olhar o rosto), e o logan, que veio depois do jess, era um riquinho esnobe de yale, bem fratboy mesmo, que preguiça.

já o jess era imprevisível, rebelde, misterioso, tava sempre lendo e claramente curtia música boa - ele foi meio escroto às vezes, dava uns perdidos na rory aí aparecia do nada depois de um tempo... mas ele era um cara confuso, tentando se entender com a própria vida, que no fim mostrou gostar de verdade da rory.

e na pior das hipóteses ela podia pegar emprestadas essas jaquetas da hora que ele tava sempre usando.


outra personagem que tinha um estilo claro - até porque a maneira como ela acobertava seu estilo próprio natural era uma das caracetístifcas que a definia - era da lane kim, melhor amiga de rory, filha de coreanos tradicionais e punk-rocker dentro do armário (meio que literalmente).

a lane era engraçada e genial porque tinha todo o acervo musical indie-punk-pop-rocker embaixo do assoalho - numa tábua solta embaixo da qual ela escondia toda uma personalidade underground de sua mãe conservadora e religiosa (além de muitos cds maravilhosos, uma coleção incrível demais pra existir inteira embaixo de uma tábua no chão).


rolava um guarda-roupa ocidental-punk-rock escondido num compartimento secreto dentro do armário cristão-coreano que a mãe cristã-coreana recheava de roupas cristãs-coreanas. esse guarda-roupa, inclusive, servia como refúgio pra lane, que acendia luzes da hora e ficava lá dentro ouvindo algum cd da sua coleção invejável e secreta.

mais engraçado era que a lane deveria se casar com um cristão-coreano - escolhido por sua mãe - mas se apaixonou por dave rygalski, que era bonitinho, nerd e apreciador de bandas indies e bandas oldies. ou seja, o sonho de quase qualquer menina do mundo moderno-atual-contemporâneo. dave rygalski e lane decidem, então, formar uma banda, à qual se juntam zack e brian, outros dois nerds-music-geeks não tão adoráveis e apaixonantes quanto dave.

dave rygalski, que era a alma gêmea de lane, acaba saindo da banda para ir pra faculdade. isso é uma traição à narrativa da série, que poxa tava indo tão bem, mas principalmente uma traição a nós, telespectadores que amávamos àquela carinha indie e todas as referências musicais desse casal. lane também se sente traída - afinal eles tavam comprometidos não apenas um ao outro mas ao rock and roll e tudo que esse estilo de vida implica - e obter educação formal numa instituição de ensino privada não é nada rock and roll. o próprio dave rebate isso mencionando dexter holland, do offspring, e rivers cuomo, do weezer, os dois com passagem pela facul.


[me chateia porque com a saída de dave rigalski a vida de lane ficou muito aquém das expectativas e acabou a deixando meio presa em papéis sociais padrão. e o que aconteceu é que na verdade dave rygalski saiu de stars hollow pra ir pra faculdade mas acabou tingindo o cabelo, mudando o nome para seth cohen, e indo morar em orange county. seth cohen é um rapaz bonitinho, nerd e apreciador de bandas indies e bandas oldies; ou seja, o sonho de quase qualquer menina do mundo moderno-atual-contemporâneo (parece familiar?). muito sabiamente (ou, melhor dizendo, muito verossimelmente), nosso querido rapaz decidiu largar a coreana esquisita e correr atrás da linda-e-popular summer roberts. basicamente o ator traiu lane e toda a audiência de gilmore girls pra ir pruma série que pagava melhor sobre gente rica e cool do litoral da california - ao invés da cidadezinha brega de interior]