• melody erlea

nefelibata: andar nas nuvens é minha tendência



um monte de gente me marcou ontem nessas fotos do mano brown pra revista elle, mas eu fiquei quietinha por aqui porque na hora que vi já comecei a planejar o post digno que um luque desse merece.


e sim, eu cometi a AUDÁCIA de copiar a foto do mano brown - quem é essa blogueirinha na fila do pão pra cometer tamanho sacrilégio? - mas a verdade é que eu sou obcecada por roupa com estampa de nuvem não é de hoje, e inclusive vou arriscar dizer que já me vestia assim antes do mano brown.



com muito menos elegância, estilo e relevância, claro, afinal nem acesso a coisas como um terno da louis vitton e retrato feito pelo bob wolfenson eu tenho. muito menos a importância cultural desse homem. o que tenho são esses retratos feitos por meu pai e o orgulho de poder dizer que, quando se trata de estampa de nuvem, ~i liked it before it was cool~ ou, em bom português, eu já gostava muito antes de virar modinha.



quer dizer: mais ou menos. salvei a primeira camiseta com estampa de nuvem no pinterest em 2011 e comprei meu 1o moletom de nuvem em 2012 (ele tá aí nas fotos). mas muito muito muito antes de mim - e de mano brown - a moschino já tava lançando roupa de céu: lá nos anos 90 até a fran, da série the nanny, usou uma calça da moschino estampada de céu.



sob o comando criativo do estilista jeremy scott, a moschino segue criando e reinventando suas estampas pop e divertidas: na última coleção, que entre outros temas celebrava o glamour da velha hollywood, a estampa de nuvem tava lá - numa versão ainda mais kitsch, num styling à la i love lucy e um vestido estampado com uma paisagem rural, das vacas pastando ao céu azul.


mas a minha obsessão vem de ainda mais longe que os anos 90 da moschino: vidrei em roupas de céu quando assisti, na adolescência, a versão cinematográfica de 1970 do conto de fadas pele de asno, escrito por charles perrault, e adaptado para as telas por jacques demy.



eu li esse conto na infância, numa adaptação brasileira, e desde sempre ele me impressionou muito - é uma história bizarra de um rei que perde a esposa e decide se casar com a filha. pra tentar fugir desse destino tenebroso, com ajuda de uma fada madrinha, a princesa exige três vestidos mirabolantes: um que seja como o céu, um que seja como a lua e, finalmente, um que seja como o sol. o rei e seus alfaiates cumprem as demandas toda vez, até que a princesa decide fugir escondida sob a pele de um asno e viver entre os camponeses (ela leva os vestidos com ela porque não é boba).



quem faz o papel da princesa no filme de demy é catherine deneuve, e o figurino é absolutamente impecável. há uma progressão nos vestidos - eles deveria ficar cada vez mais difíceis de fazer e mais esplendorosos - mas a verdade é que, no filme, o primeiro vestido, justamente o de céu, é o mais deslumbrante e criativamente executado. o momento em que os alfaiates entregam o vestido e a princesa o experimenta............. carai, véi, essa cena mudou minha vida.



pros curiosos de plantão: tem um vídeo de uma exposição sobre o jacques demy (não sei de quando) que mostra o vestido original dessa cena: azulão sem os efeitos especiais das nuvens. e acho que agora não preciso explicar pra ninguém porque desde que vi esse filme ter um vestido de nuvem se tornou meio que um objetivo de vida pra mim.


em 2016 a mara hoffman desfilou o vestido de nuvem mais próximos do que eu imaginava ns meus sonhos (o primeiro vestido nas fotos abaixo). lembro de passar dias e dias olhando pra fotos dele diversos ângulos internet afora. pena que jamais esteve ao meu alcance financeiro, mas uma garota pode seguir sonhando com uma vida nefelibata-fashion.



a verdade é que na falta do vestido de nuvem dos sonhos, eu acabei investindo em uma pequena, mas amada, coleção de roupas com estampa de nuvem. e eu não pude deixar de aproveitar a oportunidade de ver mano brown vestindo a estampa que eu tanto amo pra vir exibir uns luquinhos por aqui.



mas não foi apenas mano brown que me inpirou - recebi, ao conversar sobre o rapper vestido de nuvem, a notícia de que luiz gonzaga também curtia a estampa celestial. e gente????????????? que. coisa. mais. linda. perfeição celeste.



talvez eu esteja exagerando mas eu tive que homenageá-lo também: eu gosto mesmo da estampa nuvem-realista, mas não resisto a uma nuvem-naïf também. e não há motivo melhor pra exibir uma roupa de nuvem-naïf do que para combinar com luiz gonzaga.



eu não tô nem acreditando que tenho uma desculpa plausível pra estar falando de estampa de nuvem. vou aproveitar pra lembrar desse momento icônico em que eu fiz cosplay do quarto do andy de toy story com meu moletom de nuvem, num dos visus mais maravilhoso que passou por esse blog:



MENÇÃO HONROSA: uma amiga me lembrou do figurino de prince no clipe de rasberry beret, que eu nem consigo acreditar que esqueci!



e também um momentinho especial pras minhas mais novas botas customizadas por mim mesma *_*



0 comentário

Posts recentes

Ver tudo