top of page
  • Foto do escritormelody erlea

a calça grunge de meio milhão de dólares




se você é da era mtv com eu, se você gosta de rock alternativo como eu, então você lembra desse jeans do kurt cobain: todo rasgado, remendado com retalhos coloridos de tecido, um presente de lori barbero, baterista da banda babes in toyland.



essa calça é praticamente uma representação material do frenesi nirvana e da subsequente entrada da estética e sonoridade grunge nos gostos do maisntream. meio que um símbolo de uma era do rock. mas na real mesmo, cobain não tava tentando ser fashion icon, nem símbolo de estética nenhuma. o cara só era naturalmente estiloso mesmo.


e em meio ao movimento musical da região de seattle, dominada por homens de roupas acinzentadas e camisas de flanela, kurt se destacava pelas escolhas sartoriais. cardigans coloridos - parte do motivo que o tornou improvável ídolo twee - camisetas de bandas alternativas, o inesquecível óculos de sol retrô branco, casaco de oncinha, vestidos, unhas pintadas (com o esmalte indubitavelmente descascando), all star, as calças completamente detonadas… se por um lado cobain estivesse, como quase todos os jovens músicos da era grunge, apenas fazendo o que podia com roupas de brechó, garimpos e trocas de peças com amigos, é inegável que há uma sensibilidade estética em suas escolhas que nenhum outro frontman do grunge jamais sonhou ter.



pelo contrário: o descaso com a ideia de “look” e “montação” era intrínseca ao movimento, e que esse não-look tenha virado por si só uma estética fashion, uma tendência, uma inspiração para estilistas e passarelas… porra, isso é de uma ironia tão gostosa, tão bonita, é quase poético (de um jeito tristemente capitalista).


e há de se resonsabilizar kurt cobain e o boom de sua banda e do disco nevermind pela obsessão midiática que o “visual grunge” despertou. e essa calça aí, essa mesma cheia de remendos, é grande parte da razão.



é fato que, se kurt tava comprando suas roupas em brechós e bazares igual praticamente todos os outros caras das bandas grunge, ele era um pouco mais ousado nas escolhas e combinações. não acho, falando aqui puramente baseada na fonte vozes da minha cabeça, que ele fazia isso com intenção fashion - como as fashionistas maximalistas e man repellers de hoje em dia - mas pelo contrário: ao demonstrar completo desapego por normas estéticas, dresscodes, manter aparências ou obedecer normas de eventos, ele reafirmava seu completo desprezo por todo o teatro que significava estar na indústria da música. entrevistas, sessões de fotos, tapetes vermelhos, premiações… ao fazer questão de se vestir de maneira contrária ao que seria considerado “de bom gosto”, ele tava mandando uma mensagem, um foda-se, a todo o sistema que o transformava em celebridade. mal sabia ele que anos depois daria pra comprar reproduções das roupas que ele mais usava no ali express.



a tal da calça remendada ganhou fama quase independente de kurt cobain, virou protagonista de sua própria história. e se por um lado, sim, dá pra achar cópias no ebay por 300 dólares, a verdadeira foi leiloada no começo do mês por 400 mil dólares.

essa calça é parte integral da história do kurt cobain. é ela que ele veste no clipe de heart shaped box. foi ela que ele usou no vma de 1993 ao lado de courtney love e a pequena frances. ele se apresentou diversas vezes com a calça, conheceu william s. burroughs vestindo essa calça, posou pra fotos com ela… taí uma calça que merece sua fama.



repetir roupa era parte de sua afirmação anti-moda, que se intensifica quando a gente pensa que ele tava repetindo roupas que provavelmente comprou de segunda mão por um dólar; ou seja, roupas que já vieram de uma economia circular alternativa descolada das dinâmicas de produção e demanda da indústria fashion.


a calça remendada foi vendida no leilão played, worn & torn, que também tinha itens de elvis, eric clapton, prince, beatles, zappa… uma galera. do kurt, além da calça de meio milhão de dólares, foi vendido um de seus maços de cigarro, por pouco mais de 5 mil dólares, e a guitarra skystang 1, que ele usou durante sua última turnê, por mais de 1 milhão e meio de dólares. essa guitarra é um dos instrumentos mais fotografados e documentados do cantor - e a última música que ele tocou com ela foi heart shaped box - a música do clipe onde ele usa a calça remendada vendida no mesmo leilão.


e eu só posso acreditar no grande punchline da existência - porque se já era irônico que a anti-estética grunge tenha sido cooptada, capitalizada e transformada em tendência que a gente compra em fast fashion, é ainda mais irônico que uma calça de brechó surrada remendada, representativa de um posicionamento contra a moda, contra produtos fetiche, contra consumismo, capitalismo e conformismo... esteja agora guardada no porão de algum milionário.





0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires


bottom of page