• melody erlea

sex education me faz querer voltar pros anos 90

terminei recentemente a primeira temporada da série britânica sex education, disponível no netflix, e enquanto eu assistia meu navegador mental abriu tantas abas da cultura pop que vou ter que começar avisando a todos que esse será um texto pra quem ama televisão, e cinema adolescente americano, e música pop, e bandas de indie rock e bandas de rock que não são indie também. talvez ele seja longo, mas eu garanto que vai se uma ViAgEm!


eu me atraí primeiramente pela série porque soube que a magnífica soberana rainha do mundo gillian anderson, também conhecida como agente do fbi dana scully em arquivo x, era parte do elenco. ela é jean, uma terapeuta de casal focada em questões sexuais, totalmente foda inteligente gata gostosa mora bem boa de cama escritora desapegada de papéis de gênero... e mãe. de otis, um adolescente de 16 anos com um grande poster do joy divsion em seu quarto e uma bela disfunção sexual - ele tem algum trauma fodido e não consegue nem bater punheta sem ter ataque de pânico. apenas imaginem essa família.

o melhor amigo de otis, eric, é um rapaz gay extraordinaire com um senso de estilo maravilhoso todo trabalhado no mix de estampas, que gosta de se maquiar e se montar e é fã de (eu nem acredito): HEDWIG AND THE ANGRY INCH. otis e eric então conhecem maeve, a rebel rebel da trama, que tem uma família desajustada, mora num trailer, enche os olhos de delineador, escuta bikini kill e lê virgina wolf. maeve por sua vez é muito amiga de aimee, uma das meninas ricas e populares da escola e que tem um figurino DE MATAR, todo trabalhado no late 70s e early 80s, bem the nanny com pitadas de mila kunis em that 70s show.

cês tão entendendo a preciosidade dessa série? a cidade onde ela se passa, moordale, é fictícia, o que permite todo um torcer de referências temporais e sociais: além do grupo de amigos nada convencional, a estética toda do programa é mucho loka - posteres de bandas dos anos 80, visus que poderiam ser dos anos 70, 80 ou 90, um look geral que parece saído de um filme do john hughes - e aí smartphones dão o tom atual, aliados com o fato de que todos os adolescentes dessa escola estão fodidos da cabeça (quem não está, né?).


mas olha só. mesmo com scully, o roteiro envolvente, as personagens com gosto musical tão bom (invejo todos os posteres nas paredes de todos esses teens) e os visus tão lindos..... o que me ganhou mesmo, assim de cara, o que me fez cair de joelhos pelo programa foi a trilha sonora. focada nos 80s mas com pitadas de clássicos dos anos 90, 70 e 60, ela é um show a parte. só que o da hora mesmo é a trilha sonora original - composta, escrita e interpretada pelo princípe do indie esquecido, ezra furman.

ezra furman e sua antiga banda, the harpoons

eu conheci ezra fuman em 2008 com seu hit take off your sunglasses, que pra mim segue sendo um retrato musical e metafórico bem acertado de relacionamento amorosos, com um toque de piada que é assim que a gente sobrevive, né? desde então só me apaixonei mais pelas músicas desse cara, e pelos visus dele também, que vão de camiseta customizada com letra dos smiths a vestido e maquiagem. aí ligar uma sériezinha no netflix sem compromisso sem muita expectativa e dar de cara com ele cantando canções inéditas nos créditos? SOCORR


ezra furman não apenas se dedicou a escrever uma trilha sonora original pra sex education, ele também aparece em um dos episódios! e fazendo a coisa MAIS CLÁSSICA de filmes adolescentes dos anos 80 e 90 - tocando no baile! e não é qualquer música que ele toca não - mas como é spoiler vou deixar essa informação lá no fim do texto, pros curiozzy e pra quem já sabe poder abanar a cabeça comigo em extrema satisfação.

eu sempre curti comédias teen adolescentes, e existem poucas coisas que eu gosto mais na história do cinema e da tv do que a maravilhosa fase em que filmes adolescentes colocavam bandas reais pra tocar nos bailes e formaturas. cês lembram dessa época áurea? eu fiquei tão feliz de ver o ezra furman todo arrumadinho no palco da escola moordale enquanto os alunos dançavam que precisei fazer uma retrospectiva no meu cérebro de todas as bandas massa que já tocaram em formatura fictícia de filme.


e lista pop boa é lista pop compartilhada, então graças a sex education e ezra furman, aqui tão meus momentos preferidos de formatura americana com banda de verdade tocando (em ordem de preferência):


1. a mão assassina (1999) - offspring

esse é uma das minhas comédias adolescente mais amadas da vida - e de um gênero que há tempos não dá as caras, a comédia-terror. offspring toca no baile de halloween e um adolescente maconheiro tem sua mão possuída pelo demônio, parece que temos todos os elementos necessários prum filme de sucesso.

2. sexo, rock e confusão (1995) - gwar

esse não é um filme de adolescentes nem tem banda tocando na formatura - é muito melhor: é um filme de jovens inconsequentes dos anos 90 trabalhando numa loja de disco (um futuro que eu tinha certeza que seria o meu, mas cresci pra viver no mundo do spotify). em uma cena, um dos jovens maconheiros que trabalha na loja tá vendo um clipe do gwar na tv e a brisa é TAMANHA que eles o convidam pra curtir com ele. sim, dentro da tv, fala sério, que saudade dos anos 90.


3. 10 coisas que odeio em você (1999) - save ferris e letters to cleo

obrigada zizuis pelo retorno do ska nos anos 90, obrigada zizuis pelos filmes adolescentes dos anos 90



4. as patricinhas de beverly hills (1995) - the mighty mighty bosstones

uma banda de ska tocando na festinha em que a patricinha sem noção acha que tá num encontro mas na verdade tá só saindo com seu novo amigo gay. AS IF!


5. ela é demais (1999) - usher

imagina chegar na festa da menina rica e escrota da escola e o dj ser o usher. imagina todo mundo dançar coreografado enquanto o usher discoteca. anos 90, baby.


6. um crime entre amigas (1999) - the donnas

eu só achei esse vídeo do behind the scenes que dá pra ver a banda de relance, mas é só baixar o filme pra ver essa banda punk de garotas dos anos 90 arrasando na formatura - e o filme vale a pena pela banda e por todo o resto, também, inclusive pela memória do set onde rose mcgowan conheceu marilyn manson.


7. quanto mais idiota melhor (1992) - alice cooper

ele não tá exatamente tocando numa formatura porque esse não é exatamente um filme de colégio adolescente. ms o encontro de wayne e garth com alice cooper é bom demais pra não entrar nessa lista.


8. não é mais um besteirol americano (2002)- good charlotte

no comecinho dos anos 2000 essa fórmula de filme adolescente já tava ligeiramente saturada, e é aí que entram as paródias (formato que também ficou ligeiramente saturado depois, a vida tem dessas). eu nem acho good charlotte assim uma banda MASSA, mas essa cena é muito boa (tem referências a basicamente todos os outros filmes dessa lista)


9. de volta para o futuro - huey lewis

mais uma aparição de músico em filme sem exatamente estar tocando - huey lewis é um dos juízes das audições do show de talentos da escola, e barra a música que marty mcfly e sua banda querem tocar - que não por acaso é do próprio huey lewis, risos.


10. buffy a caça-vampiros (1997-2003) - várias bandas, socorr

buffy e seus amigos frequentavam uma baladinha, o bronze, em que só bandas da hora tocavam. todo episódio uma banda, todas boas, todo um sonho de poder frequentar esse lugar.


aí pesquisando esses filmes todos descobri que the donnas, além de um crime entre amigas, tocou num filme que eu nunca vi com melissa joan-hart (a sabrina aprendiz de feiticeira, lembra?), drive me crazy. e a banda L7 toca num filme que parece bom demais pra eu nunca ter assistido, o serial mom. também tem infectuous grooves em encino man, outro filme que não tô acreditando que não assisti, e e.g. daily em better off dead, mais uma obra prima cinematográfica que preciso ver.


então tai pra vocês meu top 10 bandas em filmes e mais 4 filmes não-assistidos pra gente baixar ilegalmente e ver juntinhos!






e atenção aos spoilers de sex education e à revelação da canção que ezra furman toca na formatura:






ezra furman tocando na formatura do colégio moordale é uma cena deveras emocionante: ao tentar assistir a uma sessão do filme hedwig and the angry inch em seu aniversário, eric acaba sozinho, montado da cabeça aos pés de hedwig - peruca loira inclusa - e se fodendo bastante. alguns dias depois, no baile, ezra toca origin of love, uma das músicas mais lindas de hedwig, e é todo um momento de superação e aprender a perdoar pro eric. tão bonito :~


  • Black Instagram Icon
  • Black Facebook Icon
  • Preto Ícone YouTube
  • Black Pinterest Icon
  • Preto Ícone Tumblr
  • Preto Ícone Spotify

RECEBA A NEWSLETTER