top of page
  • melody erlea

RINGARDE! mais uma temporada de emily in paris assistida na base do ódio



já virou minha tradição de começo de férias: desde 2020 dezembro é o mês que eu me torturo assistindo a uma temporada inteira de emily in paris odiando cada segundo. a série é ruim demais, acho que isso a gente já esclareceu desde a primeira temporada. eu sei que não é pra refletir a realidade, eu sei que é uma fantasia naif camp, mas acontece que é tão ruim tão ruim que não dá nem pra suspender a descrença, sabe? eu fico o tempo todo murmurando pra mim mesma rangendo os dentes: pffff tá bom, aham, faz muito sentido isso.


mas acontece que as cores são tão bonitas, as roupas são tão doidas e gostosas de ficar olhando, e na pior das hipóteses dá pra ver um pouquinho de paris, daquele jeito absurdo e impossível de acreditar (um mcdonalds vazio e limpo????? nenhum turista em lugar nenhum? nenhuma sujeira pelas ruas?).


essa temporada em particular está especialmente irritante, porque cada episódio parece ser uma grande publi de alguma marca nada a ver. de mcdonalds a carros mclaren, não tem nenhuma tentativa de sutileza no product placement, é propagando diretona mesmo, na cara dura.


e tem outra coisa que não tinha me pegado tanto nas temporadas anteriores, mas que nessa me deixou encafifada, tipo a ponto de não conseguir prestar atenção no que tava acontecendo em cena (não que haja muito no que prestar atenção, assitir emily in paris é que nem fazer uma lobotomia em doses homeopáticas pela tv - é tudo que meu cérebro podia desejar pras férias). eu não consigo entender todo o esforço pra vestir todas as mulheres da série em looks escandalosos, maximalistas, high fashion... e aí todos os homens estão sempre vestidos em tons neutros claros, de camisa polo ou roupa social. que chatice! os únicos caras que tem um pouquinho mais de personalidade (mas ainda assim me parecem bem enquadrados num estilo social) são julien e luc, que trabalham na agência com emily. acho completamente monótono que os "galãs" todos, todos os caras hétero da série, todos os que se relacionam com as mulheres no núcleo principal, tenham um estilo padrão de homem hétero. se existe uma série em que os caras podiam estar vestidos dos jeitos mais extravagantes possíveis, é emily in paris.



eu achei que o figurino dessa nova temporada deu uma boa melhorada e relação as antigas. nada contra o trabalho de patricia field, uma das maiores figurinistas da tv, mas agora que marylin fitousse assumiu o comando eu senti uma amadurecida no estilo de todas as personagens. sylvie continua chiquérrima como sempre, segurando looks schiaparelli modernos e sensuais. camille também aparece de schiaparelli, como a curadora de arte avant garde que é (mas tô achando ela meio insuportável nessa temporada, mais alguém?).



e gostei especialmente do figurino da emily, que antes me causava leves aneurismas, e nessa temporada tá até... bonito? ela cortou uma franjinha, o que já a faz automaticamente mais simpática a meu ver, e ainda se aproveita das referências francesas e européias nas cores e estampas - tem muitos tipos de xadrez, vichy, gingham, tartan, em combinações de mix de estampas com clássicos franceses como as listras breton e as pantalonas a la 1930. uma tentativa de emanar chanel, mas daquele jeitinho da emily.



e é claro que a estampa tradicional mais amada de emily não poderia faltar! eu avistei 3 espécimes da clássica pied de poule, uma saia na cássica combinação de preto, branco e vermelho, uma jaqueta em amarelo e um magnífico conjunto de vestido e blazer da balmain, completo com franjas pra dar aquele ar absurdo que todas as roupas de emily parecem ter.



como de costume, são releituras divertidas da estampa, o jeito que emily arranjou de "ser mais francesa" no vestir, desde a primeira temporada. e se por um lado parece fazer sentido (até o nome da estampa é em francês! até porque imagina vestir uma estampa chamada *pé de galinha* kkk), por outro é é meio ingênuo (como quase tudo na emily), já que a estampa chama originalmente hound's tooth (dentinho de cachorro) e é originária da escócia, não da frança.⠀



e se a emily apareceu com esse xadrezinho estiloso em todo tipo de tecido e em todas as cores desde a 1a temporada, em sua origem ele vinha sempre em preto e branco, e era feito em lã, alternando 4 linhas claras e 4 linhas escuras pra criar o efeito - apenas imaginem o trabalho e o cuidado.⠀



a roupa pied de poule mais antiga conhecida é um manto que foi achado num pântano sueco, cuja idade é estimada em pelo menos 2300 anos! uma estampa que existe desde antes de jesusinho, isso é que é design, minha gente, isso é que é atemporalidade. que coisa linda, arte pura :~


e só pra encerrar esse post bem encerradinho, essa é marylin fitousse, a figurinista, também de pied de poule neon:





0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page